Notícias

 


Como calcular combustível para máquinas

27/02/2012


Aprenda a estimar o consumo horário de gasolina ou óleo diesel usado nos grandes veículos de obras

As pessoas estão familiari­zadas com o consumo de combustível dos veículos de passeio. Um carro popular novo a gasolina pode fazer, por exemplo, 14 km/l na estrada. Isso quer dizer que eles andam 14 km com apenas 1 l de gasolina. E esses valores são relativamente fáceis de calcular: encha o tanque, zere o odômetro no painel, rode até o combustível ficar na ­reserva e encha o tanque novamente. O consumo aproximado é o resultado da divisão da quilometragem no odômetro pela quantidade de litros na bomba de combustível.

Mas, e para estimar o consumo de combustível das grandes máquinas usadas na construção civil, que quase sempre trabalham sem se locomover? Aí, a medição do consumo precisa ser feita em litros por hora trabalhada (l/h). Alguns fabricantes fornecem, no manual do equipamento, uma tabela com esses valores explícitos.

Quando isso não acontece, é preciso calcular o consumo estimado considerando três itens:

1) o tipo de combustível consumido pelo motor (gasolina ou diesel);

2) a intensidade de uso do equipamento; e

3) a potência da máquina.

Com base nessas informações e no preço do combustível, é possível prever com certa segurança quanto se gastará para abastecê-las, e fazer um orçamento mais próximo da realidade.

 1 - Potência nominal da máquina

Quanto maior esse valor, maior a "força" da máquina. A potência nominal, encontrada no manual do equipamento, pode ser medida em HP (do inglês "Horse Power"), kW (quilowatts) ou cv (cavalo vapor). Para facilitar o entendimento, nossas contas se baseiam na unidade HP. Para fazer a conversão, use as fórmulas a seguir:

Potência nominal (HP) = Potência nominal (kW) x 1,341

Potência nominal (HP) = Potência nominal (cv) x 0,9863

 2 - Intensidade de uso

As máquinas não funcionam em potência máxima (100%), sem interrupções, por um dia inteiro. Algumas são desligadas de tempos em tempos, outras se esforçam em apenas uma parte dos ciclos. Por isso, nos cálculos, utiliza-se um índice de correção que varia, de acordo com a intensidade de uso, entre valores de 0% a 100% - é o chamado "Fator de potência". Veja na tabela a seguir como estimar esse valor.


* Para usos de intensidade baixa, média e alta, pode-se empregar, respectivamente, fatores de potência de 40%, 55% e 75%

 
3 - Tipo de combustível

Os dois motores mais comuns nos equipamentos usados na construção são os movidos a gasolina e a diesel. Regra geral, os últimos são mais econômicos que os primeiros. Em condições ideais, o consumo médio de um motor a diesel é de 0,15 l/HP.h. Isso quer dizer que, em uma hora de funcionamento, ele usa 0,15 l de combustível para cada HP de potência de trabalho da máquina.

 CÁLCULO PRÁTICO

Considere uma retroescavadeira a diesel com 119,3 kW de potência nominal. O equipamento faz escavações em um ritmo normal, sem correria nem tempo ocioso. Quanto se gasta com combustível em cada hora trabalhada, considerando que o preço do diesel é de R$ 1,90/litro?

Primeiro, transformamos a ­potência nominal do equipamento de kW para HP, usando a fórmula de conversão.


Potência nominal (HP) = Potência nominal (kW) x 1,341


Potência nominal (HP) = 119,3 kW x 1,341


Potência nominal (HP) = 159,98 HP = aprox. 160 HP


A potência nominal do equipamento é de 160 HP, ele trabalha em intensidade média (fator de potência = 55%) e tem motor a diesel (consumo de 0,15 l/HP.h). Todos esses valores multiplicados fornecem o consumo horário de combustível da retroescavadeira.


Consumo horário de combustível = Potência nominal x fator de potência x consumo do motor


Consumo horário de combustível = 160 HP x 0,55 x 0,15 l/HP.h

Consumo horário de combustível = 13,2 l/h


Para descobrir o custo do combustível para abastecer a máquina durante uma hora, usamos a regra de três.


1 l de óleo diesel ................. R$ 1,90

13,2 l de óleo diesel ............. Y


Y = R$ 25,08

 

 Matéria retirada da revista Equipe da Obra - Janeiro 2012


Fotos Relacionadas


 

Triptyque assina reforma de edifício que produzirá a sua própria energia no Rio de Janeiro
Edifício de 21 andares será o primeiro empreendimento corporativo do Brasil a utilizar painéis fotovoltaicos na fachada para a produção de energia elétrica

CANTEIRO DE OBRAS TAMBÉM É LUGAR DE SAÚDE E BEM ESTAR
CANTEIRO DE OBRAS TAMBÉM É LUGAR DE SAÚDE E BEM ESTAR

Bioconcreto usa bactérias para curar-se sozinho de trincas
O Dr. Alan Richardson criou uma espécie de "bioconcreto", dotado de capacidade de autocicatrização.

PORCELANATO
VEJA...

Bomba hidráulica
Veja quais elementos, incluindo o nível de consumo, determinam a capacidade do equipamento que eleva a água até o reservatório superior de um edifício

Hidráulica para banheiros
Saiba como calcular o comprimento dos tubos e a quantidade de conexões e acessórios para instalações hidráulicas de sanitário

Segurança nas alturas
Conheça os sistemas de proteção coletiva que, em conjunto com os equipamentos de proteção individual, evitam a queda de pessoas e objetos da obra

Instalações elétricas provisórias
Risco de morte ocasionada pela eletricidade faz com que as exigências relacionadas à segurança sejam bastante rígidas e até redundantes. Saiba como evitar acidentes

Produção Organizada
Planejamento da obra requer projeto detalhado do canteiro e levantamento completo das informações acerca de equipamentos, materiais e perfil das equipes que trabalharão em cada etapa

Dúvidas Frequentes

Dúvidas frequentes
A revista equipe da obra do mês de agosto selecionou 50 perguntas sobre materiais, produtos e sistemas construtivos. Esse questionário foi levado para especialistas em cada assunto responderem. A finalidade é mostrar de forma simples e bem-ilustrada como funcionam os principais elementos que compõem uma obra.

Diário de Obra
Diário de obra pode ir além de mero cumprimento contratual e se tornar ferramenta de apoio na gestão da produção

Verificações pré-concretagem
Antes de lançar o concreto é preciso conferir se as fôrmas e os escoramentos estão travados, se os espaçadores, as armaduras e as instalações estão bem posicionadas.

Equipamentos
Conheça os principais cuidados para evitar embates com fornecedores, comprometimento do prazo e gastos desnecessários na locação. E mais: fichas detalhadas com os principais cuidados para sete tipos de equipamentos de canteiro

Cálculo de empolamento e contração do solo
Os volumes de terra medidos pela topografia são diferentes dos que precisam ser carregados no caso de aterros ou cortes no terreno. Confira como calcular a quantidade de caminhões e caçambas em serviços de terraplenagem

Lean Construction

Como calcular combustível para máquinas
Aprenda a estimar o consumo horário de gasolina ou óleo diesel usado nos grandes veículos de obras

Fôrma perdida "quick jet"
Tipo de fôrma perdida que está entrando no Brasil, o quick jet é um material leve que dispensa desenforma, mas seu uso precisa de planejamento prévio.

Piso de Madeira
Instalação de assoalho de madeira maciça.

Fundações com hélice contínua

O mercado de construção vertical ganha uma novidade...
As construtoras estão adequando seus apartamentos com churrasqueiras dentro do imóvel, ou seja, na sacada. Foto: Ed. Residencial Candeias do Bueno da Construtora Canadá O mercado de construção vertical ganha uma novidade churrasqueira à carvão com exaustão eficiente e adequada no quesito lazer. As construtoras estão adequando seus ao uso, garante a sucção da fumaça.

Construção civil contratou 24,9 mil novos empregos ...
O Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) registrou crescimento de 0,91% em empregos na construção civil no mês de setembro. O setor criou 24.977 novas vagas no mês.

Mercado busca profissionais cada vez mais qualificados ...
Novos cursos surgem para reduzir o déficit de profissionais capacitados na área. Objetivo é preparar o mercado para obras para a Copa de 2014.

JBS na Batimat.
A Batimat é a maior mostra de equipamentos de construção, materiais e serviços da indústria.

Eleições para o CRECI em 2012
Ilustre Corretor, Próximo ano teremos eleições dos conselhos regionais de corretores de imóveis. Para cada eleição, os conselhos federais baixarão resolução específica para regulamentar a eleição. Segue Resolução 1.128 de 2009 para que fique inteirado sobre como funciona todo o processo eleitoral. Nela constam os critérios para registro de chapa, assim como possibilidades de impugnação etc.

IGP-M de OUTUBRO 2011 fica em 0,53% - Reajuste Aluguel com pagamento em NOVEMBRO fica em 6,95%
O Índice Geral de Preços ? Mercado (IGP-M) variou 0,53%, em outubro de 2011. Em setembro, o índice avançou 0,65%. Em 12 meses, o IGP-M elevou-se 6,95%. A taxa acumulada no ano é de 4,70%. O IGP-M é calculado com base nos preços coletados entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência.