Notícias

 


Dúvidas Frequentes

24/08/2012



FÔRMAS

Fôrmas são compostas pelas chapas de contato, elementos estruturantes e de travamento.
25. Quais os principais componentes de fôrmas de madeira?
Chapas de compensado, sarrafos de madeira, pontaletes de madeira, pregos e, de forma opcional, os componentes metálicos - perfis e barras de ancoragens. Escoramento ajuda a estrutura a suportar o peso próprio e a sobrecarga de pessoas e equipamentos enquanto o concreto não adquire resistência

26. Qual a função do escoramento e do escoramento remanescente em uma estrutura?
O escoramento suporta o peso da estrutura e a sobrecarga de pessoas e equipamentos durante a concretagem. Após o concreto ganhar alguma resistência, em tempo definido pelo projetista, é possível remover parte desse escoramento. No entanto, a essa altura a estrutura de concreto ainda não é capaz de suportar a carga sozinha. Por isso, o chamado escoramento remanescente permanece apoiando a laje por mais algum tempo, até que o concreto ganhe resistência suficiente.

27. Qual é a importância do desmoldante?
Desmoldantes são produtos que facilitam o processo de desenforma do concreto. Quando aplicados, deixam uma fina camada oleosa entre as fôrmas e o concreto, impedindo a aderência entre ambos e facilitando a desenforma. Seu uso adequado proporciona o reaproveitamento das fôrmas.

28. Como fazer a limpeza das fôrmas após o uso?
A limpeza deve ser feita externamente no mesmo dia após o término da concretagem, com água corrente. Após a desenforma, nas faces internas é recomendável lavar com água em baixa pressão para não prejudicar o filme da chapa de compensado.

IMPERMEABILIZAÇÃO

Argamassas com aditivos hidrofugantes são classificadas como impermeabilizantes rígidos.

29. Qual a diferença entre impermeabilizante rígido e impermeabilizante flexível?
A diferença é caracterizada pelas partes construtivas onde serão aplicados. A NBR 9575 - Impermeabilização - Seleção e Projeto define que impermeabilização flexível é o conjunto de materiais ou produtos aplicáveis nas partes construtivas sujeitas à fissuração e que impermeabilização rígida é o conjunto de materiais ou produtos aplicáveis nas partes construtivas não sujeitas à fissuração.

30. O que é e como funciona um hidrofugante para concreto?
A principal função do hidrofugante à base de silicone é proteger o concreto aparente contra a umidade, sem modificar sua aparência natural. Ele torna as superfícies minerais repelentes à água, impedindo a penetração da umidade. Com ele, é possível aumentar a vida útil dessas superfícies ao livrá-las de eflorescências e manchas.

31. Em quais casos se usa manta asfáltica?
Manta asfáltica é um impermeabilizante flexível indicado para superfícies planas, como lajes de piso do andar térreo e de cobertura de edifícios. Ou seja, locais sujeitos à fissuração.

32. Quando é necessário fazer manutenção da impermeabilização?
A manutenção de impermeabilizações expostas deve ser realizada de acordo com instruções do fabricante do produto, mas precisam ser monitoradas. A manutenção de impermeabilizações protegidas deve ser realizada inicialmente na camada de proteção e, no caso de infiltrações, deve ser realizada até o impermeabilizante na região da falha. No caso de obras ou instalação de equipamentos, a área abrangida deverá ser reparada imediatamente.

33. Quais produtos são usados para impermeabilizar uma laje de cobertura exposta ao sol e à chuva?
Em geral, em locais expostos a intempéries, deve ser aplicada impermeabilização do tipo flexível autoprotegida ou com aplicação de proteção adicional.

34. Como fazer reparos pontuais em mantas asfálticas?
Inicialmente a manta deve ser exposta em toda a área com problemas de infiltração. Em seguida, deve ser realizada uma busca para identificar com precisão o local de falha de colagem ou defeito na manta, por onde a água esteja infiltrando. Localizada, essa parte da manta com problemas deve ser cortada até pelo menos 10 cm além da área afetada. A colagem de nova manta deve ser realizada preferencialmente utilizando asfalto a quente e seguindo os procedimentos indicados pelo fabricante. Devem ser executadas a seguir, se for o caso, as camadas de proteção mecânica.

ISOLANTES TÉRMICOS E ACÚSTICOS

35. O que são isolantes térmicos?
Isolante térmico é o material capaz de resistir à transferência de calor. Pode-se dizer que são materiais, ou combinações de materiais, que reduzem o fluxo de energia térmica (calor) transferido por condução, convecção e/ou radiação. A diferença entre as características térmicas dos materiais se dá por vários motivos e, ao escolhê-los, deve-se levar em conta a sua finalidade: melhorar o conforto em ambientes; conservar energia pela redução de perdas ou ganhos de calor em elementos de edifícios, tubos, reservatórios e equipamentos; limitar as temperaturas superficiais de elementos de edificações e equipamentos para proteção e conforto de pessoas; fornecer uma base para aplicação de acabamentos ou revestimentos; entre outras.

36. Quais os principais materiais utilizados para isolamento térmico?
Estão à venda no mercado brasileiro isolantes térmicos à condução de calor que podem ser fibrosos (lã de vidro, lã de rocha, lã cerâmica, encontrados em forma de mantas, painéis, etc.), sintéticos (espumas rígidas PU, placas de isopor com células abertas ou fechadas); e granulados ou composições. O isolamento também pode ser feito com barreiras em forma de filmes ou folhas que reduzem a troca de calor por radiação.

37. Como são aplicados isolantes em paredes de drywall?
Em drywall, além do isolamento térmico, busca-se melhorar a isolação sonora. Para isso, são empregados materiais fibrosos, que podem ser simplesmente inseridos entre os montantes da parede, ficando confinados entre as placas de vedação. Deve-se ter cuidado para que fiquem bem posicionados e não se desloquem com o tempo. Cuidados também devem ser tomados para que não sofram esmagamentos.

38. Quais as principais características de materiais isolantes térmicos?
Para isolantes térmicos, a principal propriedade é a condutividade térmica, que deve ser a mais baixa possível. As normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) estabelecem limites para essa propriedade em função da temperatura de uso e de sua densidade. Há outras propriedades que ganham relevância em função do uso, como resistência à compressão; temperatura limite de uso; absorção de água etc.

39.O que são as lãs de rocha e de vidro e quais suas principais características para isolamento acústico e térmico?
A lã de rocha ou mineral é produzida a partir da fusão de rochas basálticas e outros minerais que, depois de centrifugados, são transformados em filamentos. Depois, são incorporados óleos impermeabilizantes e resinas orgânicas, transformando-a em uma manta com boa resiliência, alto poder de absorção acústica e resistente ao fogo. A lã de vidro é composta de sílica, vitrificante, carbonato de sódio, sulfato de sódio e potássio, carbonato de cálcio e magnésio que, elevados à temperatura de 1.500ºC conferem ao aglomerado propriedades de isolamento acústico. Tem alto poder de isolação térmica, ótimo coeficiente de absorção acústica e não propaga chamas.

PAVIMENTAÇÃO

A reconstituição de pavimento deve ser feita com materiais iguais ou similares aos empregados originalmente.

40. Quais camadas compõem um pavimento asfáltico?
A estrutura é composta por uma camada de revestimento asfáltico (concreto asfáltico, CBUQ - concreto betuminoso usinado a quente ou outras), aplicada sobre uma camada de ligação ("binder" - mistura asfáltica) ou de base (bases granulares, BGS - brita graduada simples, base estabilizada granulometricamente ou outras). Na sequência, dependendo do projeto, pode ter camadas de sub-base (sub-bases granulares, BGS - brita graduada simples, base estabilizada granulometricamente ou outras), reforço do subleito (solo selecionado e compactado adequadamente) e finalmente o subleito, que é a fundação do pavimento.

41. Quais as melhores formas de recuperar um pequeno trecho de pavimento asfáltico?
O local deve ser investigado por profissional habilitado para avaliar a extensão do defeito e estabelecer o procedimento de restauração adequado. Esse tipo de trabalho deve ocorrer em condições climáticas favoráveis e a parte do pavimento com problema deve ser removida com equipamentos adequados até atingir a parte íntegra do pavimento, com cuidado para não afetar essa última. Os cortes e escavações devem ter formas geométricas regulares, de preferência com o menor lado voltado para o sentido do trânsito. Se possível, o melhor é restaurar toda a faixa ou pista nesse local. A reconstituição das camadas do pavimento deve ser realizada com materiais iguais ou similares aos originais. Por isso, o ideal é obter os projetos originais de dosagem e os procedimentos executivos das camadas do pavimento original.

42. O que é a fresagem de pavimentos asfálticos?
É o procedimento utilizado para corte e remoção do pavimento. Como o equipamento de fresagem pode ser ajustado para a profundidade especificada, é possível remover apenas o revestimento ou outras camadas, chegando até o subleito. É utilizada para remoção e descarte dos materiais ou em casos específicos para reciclagem das camadas.

43. Quais os arranjos possíveis para pavimentos feitos com blocos de concreto intertravados?
Os arranjos podem ser do tipo espinha de peixe, que em condições de tráfego intenso é considerado o mais adequado devido à sua boa resposta frente ao fenômeno de "escorregamento" analisado em relação ao travamento horizontal; espinha de peixe a 45º; tipo fileira; e trama.

REVESTIMENTOS TEXTURIZADOS

44. Qual a preparação da superfície antes de aplicar revestimento texturizado?
A superfície deve estar plana, sem ondulações, com dureza adequada, isenta de fissuras, reentrâncias e irregularidades acentuadas. É preciso remover materiais pulverulentos, micro-organismos, eflorescências, manchas de óleo e outros obstáculos à aderência do revestimento, como pinturas minerais feitas com cal. É essencial aguardar o tempo recomendado de cura para cada tipo de substrato. Se a parede que for receber a textura estiver revestida com argamassa de cimento, cal e areia, é preciso esperar no mínimo 28 dias. Se a parede estiver pintada com tinta orgânica impermeável ou brilhante, é necessário abrir os poros da superfície com lixa grana 60 ou 80 e limpar com água sanitária diluída a 30% e deixá-la descansar por no mínimo três horas.

45. Revestimentos texturizados podem ser usados em fachadas de edifícios na orla marítima?
Sim, podem ser utilizados. No passado, a utilização de texturas acrílicas inadequadas para aplicação nessas regiões provavelmente gerou histórico negativo de utilização desse produto. É importante ressaltar que um dos critérios técnicos mais importantes para escolher o revestimento de fachadas é a proteção contra a penetração de água. E, nesse aspecto, revestimentos acrílicos, quando bem formulados e corretamente aplicados sobre substratos devidamente preparados, oferecem contribuição importante ao desempenho do sistema durante sua vida útil, podendo ser aplicados também nessas regiões.

46. Por que não é indicada a execução desse revestimento nos dias em que a temperatura está acima de 38ºC ou em dias chuvosos?
Temperaturas elevadas, vento, baixa umidade e exposição à luz solar direta fazem com que a textura acrílica seque rápido demais. Tais fatores afetam a formação do filme protetor superficial. Em dias chuvosos, ocasião em que a umidade relativa do ar pode chegar a 100%, não haverá condição necessária para secagem da textura. A aplicação sobre substratos úmidos ou molhados prejudica a aderência da textura, podendo resultar na formação de bolhas, com destacamentos, bem como criar condições para desenvolvimento de fungos. Além disso, em combinação com eventual presença de sais solúveis contidos em alguns tipos de materiais de construção, a chuva pode ocasionar o surgimento de eflorescências, com manchamento da textura.

47. Que efeitos decorativos podem ser obtidos?
A obtenção de diferentes efeitos depende do processo de aplicação e da habilidade do aplicador. Quando o acabamento é realizado com rolos alveolares, a textura é definida pela característica desse acessório. No caso do acabamento riscado (graffiato), as ranhuras são obtidas com desempenadeira, fazendo com que as cargas minerais maiores rolem dentro do revestimento devido ao atrito com a desempenadeira, produzindo o efeito desejado. O mesmo ocorre com revestimentos aplicados por projeção. No caso do travertino, primeiro é aplicada uma camada homogênea sobre a base para cobrir o substrato com a cor da camada final. Depois, uma nova camada é aplicada, cuja textura é semelhante à de um chapisco grosso. Após algum tempo, apenas as pontas mais salientes do chapisco são alisadas com desempenadeira, formando a textura característica do travertino. Por fim, a camada decorativa é formada pela projeção da textura acrílica de forma a obter uma superfície rugosa com espessura uniforme.

Acabamento liso
Com a desempenadeira plástica, faça movimentos circulares sobre a superfície da argamassa até atingir o efeito desejado.

Acabamento raspado alisado
Para obter o efeito raspado alisado, faça a raspagem e, depois, use a desempenadeira plástica para alisar a superfície. Faça movimentos retos e uniformes.

Execução do acabamento raspado
Utilize uma ferramenta denteada (raspador, serrote, serrinha) para raspar levemente a superfície. Faça a raspagem em um único sentido, para que o efeito fique uniforme. Ao final da raspagem, use uma vassoura de cerdas macias para tirar os excessos.

TELHAS METÁLICAS

48. O que são telhas do tipo sanduíche?
São telhas metálicas que utilizam um elemento isolante para obtenção de conforto térmico. Podem ser feitas em poliuretano; em EPS (isopor) ou também podem ser produzidas com lãs de isolamento como vidro, rocha e PET.

49. O que são e como funcionam as telhas zipadas?
São telhas metálicas normalmente produzidas na obra cujo sistema de fixação é feito com encaixe, técnica que elimina os furos e sobreposições nas telhas.

50. Quais os tipos de fixação para telhas metálicas?
Basicamente a fixação das telhas metálicas é feita com parafusos autoperfurantes e, em alguns casos, se utiliza o sistema de rebites.

Matéria retirada da revista Equipe da Obra- Agosto 2012.


Fotos Relacionadas


 

Triptyque assina reforma de edifício que produzirá a sua própria energia no Rio de Janeiro
Edifício de 21 andares será o primeiro empreendimento corporativo do Brasil a utilizar painéis fotovoltaicos na fachada para a produção de energia elétrica

CANTEIRO DE OBRAS TAMBÉM É LUGAR DE SAÚDE E BEM ESTAR
CANTEIRO DE OBRAS TAMBÉM É LUGAR DE SAÚDE E BEM ESTAR

Bioconcreto usa bactérias para curar-se sozinho de trincas
O Dr. Alan Richardson criou uma espécie de "bioconcreto", dotado de capacidade de autocicatrização.

PORCELANATO
VEJA...

Bomba hidráulica
Veja quais elementos, incluindo o nível de consumo, determinam a capacidade do equipamento que eleva a água até o reservatório superior de um edifício

Hidráulica para banheiros
Saiba como calcular o comprimento dos tubos e a quantidade de conexões e acessórios para instalações hidráulicas de sanitário

Segurança nas alturas
Conheça os sistemas de proteção coletiva que, em conjunto com os equipamentos de proteção individual, evitam a queda de pessoas e objetos da obra

Instalações elétricas provisórias
Risco de morte ocasionada pela eletricidade faz com que as exigências relacionadas à segurança sejam bastante rígidas e até redundantes. Saiba como evitar acidentes

Produção Organizada
Planejamento da obra requer projeto detalhado do canteiro e levantamento completo das informações acerca de equipamentos, materiais e perfil das equipes que trabalharão em cada etapa

Dúvidas Frequentes

Dúvidas frequentes
A revista equipe da obra do mês de agosto selecionou 50 perguntas sobre materiais, produtos e sistemas construtivos. Esse questionário foi levado para especialistas em cada assunto responderem. A finalidade é mostrar de forma simples e bem-ilustrada como funcionam os principais elementos que compõem uma obra.

Diário de Obra
Diário de obra pode ir além de mero cumprimento contratual e se tornar ferramenta de apoio na gestão da produção

Verificações pré-concretagem
Antes de lançar o concreto é preciso conferir se as fôrmas e os escoramentos estão travados, se os espaçadores, as armaduras e as instalações estão bem posicionadas.

Equipamentos
Conheça os principais cuidados para evitar embates com fornecedores, comprometimento do prazo e gastos desnecessários na locação. E mais: fichas detalhadas com os principais cuidados para sete tipos de equipamentos de canteiro

Cálculo de empolamento e contração do solo
Os volumes de terra medidos pela topografia são diferentes dos que precisam ser carregados no caso de aterros ou cortes no terreno. Confira como calcular a quantidade de caminhões e caçambas em serviços de terraplenagem

Lean Construction

Como calcular combustível para máquinas
Aprenda a estimar o consumo horário de gasolina ou óleo diesel usado nos grandes veículos de obras

Fôrma perdida "quick jet"
Tipo de fôrma perdida que está entrando no Brasil, o quick jet é um material leve que dispensa desenforma, mas seu uso precisa de planejamento prévio.

Piso de Madeira
Instalação de assoalho de madeira maciça.

Fundações com hélice contínua

O mercado de construção vertical ganha uma novidade...
As construtoras estão adequando seus apartamentos com churrasqueiras dentro do imóvel, ou seja, na sacada. Foto: Ed. Residencial Candeias do Bueno da Construtora Canadá O mercado de construção vertical ganha uma novidade churrasqueira à carvão com exaustão eficiente e adequada no quesito lazer. As construtoras estão adequando seus ao uso, garante a sucção da fumaça.

Construção civil contratou 24,9 mil novos empregos ...
O Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) registrou crescimento de 0,91% em empregos na construção civil no mês de setembro. O setor criou 24.977 novas vagas no mês.

Mercado busca profissionais cada vez mais qualificados ...
Novos cursos surgem para reduzir o déficit de profissionais capacitados na área. Objetivo é preparar o mercado para obras para a Copa de 2014.

JBS na Batimat.
A Batimat é a maior mostra de equipamentos de construção, materiais e serviços da indústria.

Eleições para o CRECI em 2012
Ilustre Corretor, Próximo ano teremos eleições dos conselhos regionais de corretores de imóveis. Para cada eleição, os conselhos federais baixarão resolução específica para regulamentar a eleição. Segue Resolução 1.128 de 2009 para que fique inteirado sobre como funciona todo o processo eleitoral. Nela constam os critérios para registro de chapa, assim como possibilidades de impugnação etc.

IGP-M de OUTUBRO 2011 fica em 0,53% - Reajuste Aluguel com pagamento em NOVEMBRO fica em 6,95%
O Índice Geral de Preços ? Mercado (IGP-M) variou 0,53%, em outubro de 2011. Em setembro, o índice avançou 0,65%. Em 12 meses, o IGP-M elevou-se 6,95%. A taxa acumulada no ano é de 4,70%. O IGP-M é calculado com base nos preços coletados entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência.